SONY DSC

Favela

Duas das mais importantes referências da militância e do universo do negro, Carolina Maria de Jesus e Abdias do Nascimento, nasceram no mesmo dia: 14 de março de 1914. Aproveitando a data centenária, o Estéticas das Periferias apresenta, já na sua abertura, uma peça que une o universo e a história de ambos.

Sob a direção artística de Lucelia Sergio, da Cia Os Crespos, o espetáculo “Favela” reúne as quatro companhias de Teatro Negro da cidade de São Paulo – Os Crespos, Coletivo Negro, Capulanas Cia de Arte Negra e Grupo Clariô de Teatro, com o acompanhamento musical da banda Aláfia. A partir do discurso de Carolina Maria de Jesus, o espetáculo cria uma ponte com a realidade da periferia hoje e coloca a Favela em cena, dando voz, grito e canto às várias Carolinas do nosso tempo.

Lucelia Sergio comemora a oportunidade de elaborar uma apresentação teatral que homenageia a escritora Carolina e o artista e ativista político Abdias. “Fora do universo da militância do negro, a Carolina e o Abdias não serão lembrados devidamente e não vão receber as homenagens que merecem, por isso é uma alegria montar essa peça”, afirma Lucelia.

Ao todo, explica, 23 artistas vão participar da apresentação que foi montada a partir da construção de cenas que já fazem ou fizeram parte do repertório das quatro companhias, sendo que, na combinação delas, somada a participação da banda Aláfia, ganha um novo significado.

A diretora conta que a proximidade temática e estética das companhias, todas adeptas do Teatro Negro, facilitou e ajudou na qualidade do trabalho que será apresentado ao público. “Os grupos têm uma afinidade muito grande. Graças a isso, o processo de troca é intenso e proveitoso”, avalia.

Para Lucelia, a importância do Teatro Negro, que tem Abdias do Nascimento como principal patrono, está em colocar em evidência a imagem do corpo do negro, não só na sociedade, mas também dentro do contexto artístico, da representação teatral. “As companhias e grupos teatrais quase não contam com negros nos seus elencos, por isso é essencial o trabalho do Teatro Negro, que dá destaque para questões da negritude em nossa sociedade”.

Direção geral: Lucelia Sergio | Assistente de direção: Sidney Santiago Kuanza | Atores: Darília lilbé, Lucelia Sergio e Sidney Santiago Kuanza (Os Crespos); Aysha Nascimento, Jé Oliveira, Jefferson Matias, Raphael Garcia, Thaís Dias (Coletivo Negro); ? (Capulanas Cia de Arte Negra); Naruna Costa, Naloana Lima, Martinha Soares (Grupo Clariô de Teatro).

Banda Aláfia: Jairo Pereira – voz | Eduardo Brechó – voz e guitarra | Xênia França – voz | Lucas Cirillo – gaita | Filipe Gomes – bateria | Alysson Bruno – percussão | Gabriel Catanzaro – baixo | Pipo Pegoraro – guitarra | Gil Duarte – trombone | Fernando TRZ – teclados.

Abertura do Estéticas das Periferias 2014 – Espetáculo “Favela”
Data: 26/08, às 20h.
Local: Auditório do Ibirapuera – Av. Pedro Álvares Cabral, Parque do Ibirapuera, Portão 3, São Paulo/SP.

Deixe uma resposta